Projetos individuais

2019 –

Afeto e emoção na leitura de aplicativos literários na primeira infância

Expandindo o projeto anterior, essa pesquisa busca complementar o entendimento dos processos de construção de sentido na leitura digital de crianças de quatro anos lendo com seus pais por meio da análise dos aspectos afetivos e emocionais e suas relações com o corpo do leitor na leitura de aplicativos literários. São analisados como o corpo do leitor manifesta sua experiência emocional, como as ações e o contato físico desse corpo para realizar as interações interfere na experiência emocional da leitura, como a obra transmite emoções por meio do corpo representado das personagens, e como o leitor interfere, por meio da interação, no desenrolar emocional da história, decisão essa que volta a afetá-lo emocionalmente, realizando um completo feedback loop emocional.

2014-201

A construção de sentido na leitura literária na primeira infância: corpo e agência

Esse projeto interdisciplinar investigou os processos de construção de sentido de crianças de 4 anos lendo aplicativos literários com os pais, em uma biblioteca pública da Inglaterra. A semiótica social multimodal foi usada como referencial teórico dos processos de construção de sentido, que considera que o significado emerge do encontro ente leitor, artefato literário e contexto sócio-cultural. A observação com registro audiovisual foi o método central de coleta de dados, complementado com métodos criativos como a criação de uma resposta visual e uma encenação com fantoches. A análise qualitativa dos dados apresentou uma perspectiva multimodal, incluindo a transcrição multimodal e a criação de redes temáticas. O estudo apontou que o corpo do leitor toma papel central na construção de significados da leitura literária digital, seja pela constante interação do leitor com a obra, por meio de interações hápticas e não-hápticas, como por meio da performance espontânea do leitor que habita o espaço ficcional. O corpo do leitor tem função de ativação da interação, mas também função de representação da obra, se convertendo em uma unidade: o leitor faz parte da obra e a obra, parte do leitor. Tanto a participação interativa como a performance espontânea do leitor são formas de ele exercer sua agência em relação à obra. A possibilidade de participar da obra por meio da interação empodera o leitor frente ao mundo ficcional e é fonte de prazer estético, mas essa participação é sempre fortemente atada ao design da obra. A performance espontânea, por outro lado, permite ao leitor subverter essas amarras e reafirmar seu papel enquanto de agente da leitura e da construção de sentido.

Projeto orientado pelas Profas. Dras. Fiona Maine e Maria Nikolajeva

2012-2014

Aspectos lúdicos da literatura infantil adaptada e nativa digital em formato de aplicativo

Esse projeto analisou os aspectos lúdicos de um corpus de aplicativos literários voltados à infância, sendo metade dessas obras adaptações de livro ilustrados e a outra metade, nativa digital. Dentro de uma perspectiva multimodal, foi analisado como o lúdico se manifesta em três diferentes esferas: (1) o lúdico manifestado por meio das modalidades semióticas individualmente, ou seja, pela criação de “jogos” verbais, visuais, sonoros, etc. (2) o lúdico como manifestado por meio da relações intersemióticas, ou seja, pelas relações, geralmente em contraponto, entre palavra e imagem, imagem e som, etc. (3) o lúdico por meio da performance da interação e do engajamento do corpo do leitor para participar da história. Acesse a dissertação de mestrado (em inglês) resultante desse projeto aqui.

Projeto orientado pelo Prof. Dr. Eric Meyers

2008

Parâmetros para o design de dicionários infantis ilustrados

Nesse projeto de conclusão de especialização em design gráfico, foram analisados seis dicionários selecionados pelo Plano Nacional do Livro Didático para distribuição em escolas públicas de todo o país. A análise resultou em uma série de parâmetros para o uso de tipografia, grid, imagens, orientação visual e uso da materialidade do objeto livro para um design de qualidade, tanto estética como de usabilidade, de dicionários infantis ilustrados. Acesse os resultados desse projeto aqui.

Projeto orientado pela Profa. Regina Wilke

2005

O processo de criação de capas de livro no Brasil

Esse projeto de pesquisa de graduação discutiu os processos de criação no design de capas de livro a partir de uma análise bibliográfica e entrevistas com alguns dos mais prestigiosos designers de capa de livro do Brasil: Ettori Bottini, Evelyn Grumach, João Baptista da Costa Aguiar, Marcelo Martinez, Moema Cavalcanti, Paula Astiz, Raul Loureiro e Victor Bourton. Acesse os resultados desse projeto aqui.

Projeto orientado pelo Prof. Plínio Martins Filho